quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Degeneração Hialina

É basicamente caracterizada por um acúmulo de proteínas, podendo ser epitelial (dentro da célula, substância com forma de pequenos grânulos acidófilos ou aglomerados irregulares) ou conjutivas (fora da célula, atingindo o tecido conjuntivo fibroso e a parede dos vasos, daí também o nome conjuntivo-vascular). Com aspecto homogêneo de certa transparência, brilho e corado de róseo, podemos dizer que o nome provém dessas características singulares. Há vários tipos de degeneração hialina intracelular, entre eles estão:
• Degeneração hialina goticular:  Surgimento de várias gotículas hialinas dentro das células. Ocorre principalmente em doenças renais onde o glomérulo permitirá a passagem de proteínas que serão pinocitadas. Há um aumento na reabsorção de proteínas nas vesículas e proteinúria.
Corpúsculo de Russel: A Imunoglobulina formará o corpúsculo, ocorrerá uma cristalização no citoplasma do plasmócito.
Degeneração hialina de Mallory: Aparece em patologicas como cirrose hepática e carcinoma hepático. Os hepatócitos apresentam massas hialinas. Ocorre devido a destruição de proteínas do citoesqueleto, por exemplo. É reversível.

Um comentário:

  1. Nossa, cara. Que adianto de vida. Haha.
    Eu tô pagando a cadeira de anatomia patológica e o único livro que me indicaram foi o Bogliolo. Mas como eu sou aluno de radiologia, nós não nos aprofundamos muito nos assuntos, estudamos mais os tópicos importantes. Então o livro em si não se torna didático, e esse teu texto me ajudou MUITO mais do que o livro. Não se se você é ainda ativa com o blog, mas parabéns pelo trabalho.
    Vlwzão pela ajuda.

    ResponderExcluir